5 dicas para quitar a fatura do seu cartão de crédito com as melhores condições

como quitar fatura do cartão de crédito

É possível que você já tenha tido contato com outros conteúdos sobre como quitar a fatura do seu cartão de crédito. Este é um tema bastante abordado em razão de sua relevância e, principalmente, dos benefícios de se livrar de dívidas absurdamente caras, como é o caso das contraídas com o cartão de crédito.

No entanto, nem sempre essas informações são passadas de forma prática e clara, muitas vezes sugerindo coisas óbvias ou soluções que só servem para quem tem muito dinheiro. Nesta postagem, você entenderá de uma vez por todas como lidar com esse tipo de dívida. Confira!

Por que tanto se fala em quitar a fatura do cartão de crédito?

Antes de partir para as dicas propriamente ditas, vamos entender melhor a importância e o motivo desse assunto ser tão abordado. A primeira razão você já sabe: os juros altíssimos, que podem triplicar ou quadruplicar a sua dívida em menos de um ano.

Porém, é preciso considerar que a lógica do cartão de crédito é permitir uma forma racionalizada de antecipar suas compras sem pagar juros por isso. Sendo assim, quando você usa o cartão de crédito para uma compra no mercado, na drogaria ou ao parcelar um eletrodoméstico, é possível estar fazendo um bom negócio, desde que a fatura total seja quitada no dia do vencimento.

O problema é quando o seu orçamento aperta e, na esperança de uma solução rápida, você paga o valor mínimo da fatura e permanece assim por alguns meses. Logo essa dívida vira uma “bola de neve”, até se tornar insustentável.

Como quitar fatura do cartão de crédito?

Nesse momento, é preciso preocupar-se em como negociar e resolver o problema de forma definitiva. Quanto mais tempo você deixar passar, mais grave vai ficar a situação e, mesmo que você esteja esperando a entrada de um dinheiro extra, que permita quitar a dívida, não ficará livre dos juros acumulados durante esse período.

Pensando em ajudar nessa questão, listamos algumas opções de o que fazer para quitar a fatura do cartão de crédito e evitar esse tipo de situação. Confira a seguir.

1. Faça os cálculos correta e detalhadamente

O primeiro passo é levantar o valor exato de sua dívida. Para isso, procure a administradora do cartão e solicite que informem o Custo Efetivo Total (CET) para quitação do débito. Conforme nossa legislação, essa é uma informação obrigatória.

Isso evita que você elabore todo um plano para resolver o problema e, quando chegar o momento de quitar o seu cartão, descubra um valor adicional, como uma multa ou fatura não quitada que não tenha sido considerada.

2. Reveja seus hábitos de consumo

Outro cálculo importante refere-se ao seu orçamento. Não adianta você resolver o problema de sua dívida antes de resolver o que o causou. Desse ponto de vista, cortar hábitos de consumo, principalmente de pequenas despesas supérfluas, pode ajudar a equilibrar o seu orçamento de modo a permitir que você assuma uma parcela para quitar sua dívida.

3. Conheça seus direitos

Durante uma negociação para quitar uma dívida, é importante levantar previamente todas as informações que influenciaram o resultado final. Dentre elas, estão os seus direitos legais.

Saiba que, por exemplo, um banco não pode obrigar a compra de produtos que você não deseja, como seguros, aplicações ou qualquer outro — o que é uma prática que pode ocorrer. Além disso, a instituição deve fornecer todas as informações sobre sua dívida, o que nem sempre acontece.

4. Troque a dívida no cartão por uma opção mais barata

Você já sabe que o maior problema da dívida de cartão de crédito são os altíssimos juros cobrados. Por isso, muitas vezes é possível usar outra forma de empréstimo como modo de levantar o dinheiro necessário para quitar sua dívida com o cartão.

Sendo assim, o que você precisa fazer é escolher a melhor alternativa, comparando juros, facilidades e flexibilidade. A seguir, listamos algumas opções a serem consideradas.

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é sem dúvida uma alternativa mais barata se comparada a do crédito rotativo do seu cartão. Ela é oferecida por bancos e instituições financeiras e depende de uma boa análise de crédito. Os juros variam, por isso não se esqueça de comparar as ofertas que levantar.

Negociação com a administradora do cartão

As administradoras de cartões de crédito costumam oferecer possibilidade de negociação para quem tem dívidas altas e, principalmente, para quem está inadimplente.

Muitas vezes os juros são similares aos oferecidos nos empréstimos pessoais, mas é preciso considerar a facilidade de negociação que você vai encontrar, pois nem todas as administradoras facilitam esse procedimento, ainda que ele seja respaldado por nossa legislação.

Contudo, se você tiver um cartão de crédito consignado, notará que os juros são bem mais vantajosos, seja para o cartão, seja para uma renegociação do crédito.

Empréstimo consignado

De todas as modalidades de empréstimo disponíveis, o empréstimo consignado é a modalidade mais flexível e com juros menores. Além disso, em muitos casos não existe nenhuma limitação para quem está registrado em um cadastro como inadimplente.

Outra vantagem é que, nesse caso, os juros são incrivelmente mais baixos, pois a financeira conta com garantias incomparáveis para conceder esse tipo de empréstimo. No entanto, ele só está disponível em casos específicos, como de militares e funcionários públicos, empresas privadas conveniadas e aposentados e pensionistas.

Isso ocorre porque a garantia de crédito é concedida na origem da renda, ou seja, no caso dos aposentados e pensionistas, por exemplo, é o próprio INSS que garante o pagamento da parcela, que será descontada diretamente do benefício – sendo que todas as transações ficam registradas no Meu INSS.

5. Planeje para que a parcela encaixe no seu orçamento 

Por fim, depois de fazer todos os cálculos, pesquisar sobre todas as opções e decidir a melhor forma de resolver o problema, você precisa certificar-se de que pode assumir as parcelas devidas.

Mesmo no caso do empréstimo consignado, no qual o valor será descontado do seu ganho, é preciso ter certeza de que o restante do pagamento será suficiente para arcar com seu orçamento mensal.

Aliás, outra vantagem do empréstimo consignado é a facilidade de renegociar no futuro. Caso seu benefício ofereça um residual da sua margem consignável, será possível solicitar um novo empréstimo, aumentar a quantidade de parcelas ou tomar outras providências para ajustar o seu pagamento da melhor forma.

Agora que você tem mais informação sobre como quitar a fatura do cartão de crédito, não esqueça que essa medida pode fazer enorme diferença na sua qualidade de vida e no seu futuro, pois é muito difícil estabelecer objetivos e investir neles enquanto precisa arcar com juros tão altos.

Para ter acesso a uma ajuda mais personalizada, entre em contato conosco e conte com a assessoria da Viper Soluções.

Comente e Compartilhe