Você está mesmo precisando pegar dinheiro emprestado? Descubra aqui!

pegar dinheiro emprestado

Pegar dinheiro emprestado é uma atividade normal e muitas vezes, necessária. No entanto, pode se tornar um problema se não for feita pelos motivos certos, no momento correto e com a segurança devida.

Em casos nos quais o empréstimo é efetuado para cobrir uma despesa emergencial, por exemplo, ele serve perfeitamente. Mas para alguém que está com falta de dinheiro por gastar mais do que ganha, ele apenas protela o problema.

Outra situação muito comum é quando o empréstimo é efetuado para outra pessoa, o que é popularmente chamado de “emprestar o nome”. Obviamente, essa é uma decisão pessoal, mas é a principal causa de endividamento entre pessoas idosas e, em alguns casos, pode ser considerado um caso de assédio.

Por isso, continue a leitura e saiba tudo o que é preciso sobre esse tipo de prática.

Por que pegar empréstimo para outras pessoas pode ser um problema?

Não imagine que o empréstimo para terceiros é um problema de desonestidade da parte de quem precisa do dinheiro. Algumas vezes é exatamente isso, mas na maioria dos casos o problema não envolve o caráter da pessoa, que costuma ser um parente próximo, confiável e com ligações sentimentais.

Para entender, considere que os bancos e financeiras emprestam dinheiro com base em algumas exigências para se proteger de problemas. Por isso, se você estiver fazendo uma divida em seu nome para alguém porque houve recusa do empréstimo por parte de uma dessas instituições, é muito provável que vá se colocar em uma situação difícil.

Exigências de comprovação de um rendimento em um valor mínimo, tempo de emprego, nome sem restrições e outras situações similares ocorrem porque a empresa verificou que quando essas exigências não são satisfeitas a chance de problemas é mais alta.

Como nascem os principais problemas financeiros?

A principal causa de problemas financeiros é a renda insuficiente. Alguém que vive com um salário e mantém despesas de um salário e meio todos os meses, acumula mensalmente uma divida de meio salário.

Você pode se perguntar: “mas como isso é possível?” Digamos que, no fim do mês, a pessoa em questão perceba que falta meio salário para pagar as contas e fazer as compras restantes. Então, ela atrasa alguns desses pagamentos.. No começo do mês seguinte, quando recebe o salário, consegue quitar essas contas, mas não resolve o problema de forma definitiva.

Nesse caso, se ela fizer um empréstimo, vai conseguir quitar o débito imediato, mas terá uma despesa adicional referente ao valor da parcela do empréstimo e uma falta mensal ainda maior do que tinha anteriormente.

Uma das únicas maneiras de resolver isso é diminuindo os gastos, tornando possível eliminar o meio salário de despesas superiores e efetuar o pagamento do valor da parcela do empréstimo. Assim, depois da última prestação, o valor da parcela tende até a sobrar no orçamento.

Por que alguém precisa pegar empréstimo em seu nome?

No entanto, muitas pessoas esperam resolver o problema sem o sacrifício de diminuir as despesas. Muitas vezes, têm esperança de aumentar os ganhos, o que também é uma ótima ideia, mas apenas quando é realmente possível conseguir outra fonte de renda, por exemplo.

Enquanto o aumento for apenas uma esperança, a dívida só aumenta, e em um belo dia a pessoa não consegue mais honrar os pagamentos, fica com o nome sujo e precisa recorrer a alguém conhecido para pegar o empréstimo por ela.

Nesses casos, o problema passará apenas a incluir outra pessoa, que também corre o risco de ficar com restrições de crédito. Aliás, um risco altíssimo! Além de tudo, também existem os casos nos quais a solicitação no nome de um idoso aposentado é considerada vantajosa, pois ele pode solicitar um empréstimo consignado, que tem juros menores, menos burocracia e prazos mais longos.

Outra possibilidade é a de obter crédito consignado para quem tem carteira assinada, embora não seja possível em todos os casos.

Como se proteger de problemas com empréstimos de terceiros?

Com base no que informamos até aqui, deve estar claro que a melhor forma de se proteger nos casos citados é evitar emprestar ou pegar dinheiro emprestado. Ao mesmo tempo, a decisão de realizar empréstimos de terceiros é apenas sua, uma vez que pode envolver aspectos particulares. Sendo assim, alguns cuidados podem ajudar no caso de você decidir se arriscar.

O primeiro deles é certificar-se de que os motivos do pedido não são os que descrevemos para você neste texto. Nesse caso, a pessoa precisa de orientação financeira, e não de mais dinheiro. Isso apenas agravaria a situação no médio e longo prazo.

Em outras palavras, dividas não se resolvem com mais dividas. Como poderia, não é mesmo? Uma situação diferente é quando você faz um empréstimo para adiantar a compra de algo que precisa, mas sabendo que possui reservas para cobrir a despesa adicional da parcela.

Situações imprevistas

Outro problema é quando a pessoa faz um empréstimo consciente, mas surge algum imprevisto que exige um gasto inesperado, como um problema com o carro, um estrago na residência em decorrência de um temporal, e assim por diante.

Se for possível cobrir a despesa com outro empréstimo, cuja prestação também caiba no orçamento, não haverá problema, mas caso a parcela supere a sobra mensal, a bola de neve começa a se formar.

É por isso que as financeiras se preocupam com detalhes como o tempo de serviço. Afinal, alguém admitido há poucos meses tem mais chance de ser mandado embora do que quem foi efetivado recentemente, por exemplo. Nesses casos, a pessoa estará menos sujeita a imprevistos.

Por fim, voltamos a afirmar que pegar dinheiro emprestado para terceiros é uma decisão pessoal, mas nem de longe é uma obrigação atender a esse tipo de pedido. Nenhuma ligação gera esse tipo de compromisso, principalmente quando o empréstimo é efetuado em nome de um aposentado de idade avançada, podendo até mesmo ser considerado um tipo de abuso. Afinal, a aposentadoria é uma garantia de sobrevivência digna e independente. Em casos de pressão ou uso de artifícios enganosos, é cabível solicitar providências e proteção.

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma opinião sobre o tema? Deixe seu comentário abaixo e interaja conosco.

Comente e Compartilhe