Guia do planejamento financeiro para pessoas com mais de 40 anos

planejamento financeiro

Existe um consenso entre especialistas que diz que quanto mais jovem um indivíduo começar seu planejamento financeiro, melhor serão os resultados no futuro. Afinal, os jovens têm o tempo ao seu favor para investir em ativos mais rentáveis em longo prazo.

No entanto, o que muita gente não sabe é que o planejamento financeiro para pessoas com mais de 40 anos também é extremamente importante para alcançar esses objetivos. Mesmo com menos tempo, ainda é possível planejar-se para aumentar sua qualidade de vida, garantir uma aposentadoria tranquila e até mesmo ajudar dependentes financeiros (filhos, enteados, pais idosos, entre outros). 

Além disso, o planejamento financeiro é uma ferramenta de ouro para começar o ano sem dívidas e pronto para fazer o seu dinheiro trabalhar por você. Pensando nisso, elaboramos esse guia completo para você aprender tudo que precisa saber sobre o planejamento financeiro para pessoas com mais de 40 anos. Duvida? Então continue acompanhando! 

O que é o planejamento financeiro? 

A maioria das pessoas já sabe que é praticamente impossível começar um novo negócio sem antes planejar-se. Por isso, procedimentos como pesquisa de público-alvo, escolha de fornecedores e análise de perfil dos concorrentes são encarados como fundamentais para garantir que o novo negócio consiga lucrar. 

No entanto, quando falamos em finanças pessoais, planejar gastos e investimentos é uma tarefa negligenciada por muitos brasileiros. Por isso, o planejamento financeiro deve possuir a mesma importância nas finanças pessoais que tem para as finanças de uma empresa. 

Sem mais delongas, o planejamento das finanças pessoais se caracteriza na organização dos gastos e investimentos feitos. Dessa forma, é possível planejar-se com eficácia para alcançar objetivos e realizar seus sonhos em curto, médio e principalmente longo prazo. 

Nesse sentido, uma das principais características do planejamento financeiro para pessoas com mais de 40 anos é a disciplina. É ela a responsável pelo zelo por investimentos e gastos em prol das suas metas. Afinal, para conseguir alcançar seus objetivos, não basta seguir uma estratégia de organização financeira apenas por um mês; é preciso seguir se planejando ao longo de toda a vida.

Dessa maneira, é imprescindível que você foque no médio e longo prazo para elaborar um planejamento financeiro realmente eficaz. Para isso, o primeiro passo começa com um diagnóstico da sua situação financeira atual, incluindo todas suas fontes de renda, como salário, recebimento de aluguéis, etc. Também é importante levar em consideração a previsão de possíveis recebimentos nos próximos meses. 

Em seguida, é necessário apurar todos os seus gastos fixos, como aluguel, luz, escola para os filhos, etc. Por fim, chegou o momento de definir os seus objetivos de curto, médio e longo prazo: onde você quer morar no futuro? Quando você quer se aposentar? Quanto você precisa receber de aposentadoria para manter sua qualidade de vida atual? 

Após esses passos, você já tem o “esqueleto” do seu planejamento financeiro pronto para começar a colocá-lo em prática. 

Qual a importância do planejamento financeiro?

Ao assumir o controle total de suas finanças, é possível identificar com clareza todos os seus rendimentos e principalmente todos os seus gastos. Com isso, é possível adequar o seu orçamento de acordo com os seus objetivos de curto, médio e longo prazo. 

Curto prazo

O planejamento financeiro é imprescindível para alcançar todas as suas metas de curto prazo. Afinal, muitas pessoas já acostumaram a gastar mais do que recebem, resultando na utilização de crédito e até mesmo no cheque especial. Assim, o planejamento financeiro para pessoas com mais de 40 anos também contribui para evitar endividamentos. Lembre-se de gastar o seu salário somente após recebê-lo, levando em consideração que ele deve durar até o próximo pagamento. 

Médio prazo

A educação financeira é fundamental para abandonar hábitos de compras nocivos. Por isso, um planejamento saudável leva em conta a previsão de gastos dentro de um determinado período de tempo, evitando que você comprometa sua renda com juros e gastos desnecessários. Entretanto, não se engane ao pensar que você não deve adquirir bens; basta levar em consideração seu orçamento, juntando dinheiro para metas e objetivos de médio prazo. 

Longo prazo

É importante ressaltar que, em longo prazo, o planejamento financeiro para pessoas com mais de 40 anos é a forma mais segura de alcançar objetivos, uma vez que identifica todos os gastos desnecessários e investimentos que poderiam render mais. Dessa forma é possível juntar mais e com sabedoria, priorizando os investimentos mais rentáveis e fazendo com que seu dinheiro trabalhe por você. 

Como fazer um planejamento financeiro depois dos 40 anos? 

Agora que você já aprendeu o que é um planejamento financeiro e a sua importância para pessoas com mais de 40 anos, chegou a hora de colocá-lo em prática. Por isso, criamos este passo a passo com tudo o que você precisa fazer para alcançar seus objetivos. Confira!

Entenda seus gastos 

Antes de começar as mudanças, é preciso identificar o que precisa ser alterado, certo? Para isso, o primeiro passo é entender de verdade quanto você tem, quanto recebe (salário e ativos), quanto gasta (fixo) e quanto deve. 

Nessa etapa, é fundamental identificar tudo o que gera despesas, como serviços de assinaturas, aluguel, prestações e contas no geral. Além disso, também é indicado avaliar o seu patrimônio, calculando ou estimando o valor total dos seus bens. Apenas assim será possível identificar o quanto você está disposto (ou precisará) sacrificar para atingir seus objetivos. 

Outra dica muito importante: entenda para onde todo o seu dinheiro está indo. Um erro muito comum nessa etapa é levar em consideração apenas os gastos fixos — deixando de lado os gastos não planejados, como o dinheiro investido em lazer, por exemplo. 

Pague suas dívidas 

Toda dívida é um custo — e todo dinheiro que você está pagando em juros poderia ser utilizado para alcançar seus objetivos. No entanto, existem algumas dívidas, como aluguel e prestações da casa ou carro que são extremamente válidas, já que são referentes às suas necessidades.

Aqui, estamos falando de dívidas como excesso de compras ou atrasos em pagamentos. Após identificar seus gastos, chegou a hora de pagar suas dívidas e livrar-se dos juros e taxas. Por isso, crie um plano de pagamento de dívida levando em consideração sua realidade financeira e garantindo que você conseguirá pagar todas no prazo determinado. 

Após os 40 anos, o excesso de dívidas está muito longe do ideal. Afinal, essa é uma fase em que você deve estar se planejando para viagens importantes e principalmente para aumentar sua qualidade de vida no futuro. 

Controle seu orçamento

Agora que você já sabe o destino do seu dinheiro e criou o seu calendário de dívidas, chegou a hora de direcionar seus investimentos para que eles rendam mais. Para controlar seu orçamento, é recomendado que você utilize o velho e bom lápis e papel ou até mesmo um software de gestão grátis como o Excel. 

É normal ficar surpreso ao perceber o quanto você gasta com delivery, aplicativos de mobilidade, compras desnecessárias, etc. Por isso, monitore constantemente o seu extrato bancário e do cartão de crédito. Outra dica importante é checar suas contas de serviços públicos para constatar que elas não possuem nenhum erro de cobrança. 

Caso você ainda não possua um orçamento planejado, lembre-se de direcionar seu dinheiro primeiro para suas necessidades básicas, como alimentos, contas e dívidas mensais. Em seguida, reserve uma parcela para o lazer, levando em consideração todos os ativos que você recebe mensalmente. Por fim, é necessário guardar outra parte para emergências, como já dizia o antigo dito popular: “antes prevenir do que remediar”.

Com tudo isso, é possível questionar todas as formas que você gasta seu dinheiro, avaliando se é uma necessidade ou um desejo, bem como controlar seu orçamento com eficácia, economizando para alcançar suas metas e garantindo uma reserva para sua qualidade de vida no futuro. 

Faça compras conscientes 

Evite ao máximo desperdícios como comprar bens fora do desconto, utilizar aplicativos de mobilidade sem necessidade e os juros e taxas cobradas por atrasos em pagamentos. Lembre-se que tudo na vida exige equilíbrio, e com as finanças não é diferente. 

Por isso, é imprescindível fazer compras conscientes, levando em conta o seu padrão de vida e evitando gastar mais do que você ganha. Assim fica mais fácil evitar os gastos por impulso e despesas supérfluas que comprometam seu orçamento. 

Crie um fundo de emergência

Independentemente da organização financeira, todo mundo corre riscos de despesas e gastos inesperados, seja uma demissão, gastos médicos ou qualquer despesa não planejada. Por isso, quem está adotando o planejamento financeiro e tem mais de 40 anos é obrigado a criar um fundo destinado para lidar com emergências. 

Mesmo que você ainda não tenha uma reserva desse tipo, nunca é tarde para se preparar: crie uma reserva equivalente ao seu salário acumulado por 6 meses ou mais. Se parecer difícil, é possível começar guardando uma quantia menor; conforme você consiga se organizar financeiramente, basta aumentar a quantia destinada. Ao controlar seu orçamento e comprar de forma consciente, é bem provável que o seu dinheiro renda muito mais. 

Esse foi o passo a passo completo para começar o planejamento financeiro para pessoas com de 40 anos hoje mesmo. Cada procedimento deve ser feito com atenção e levado a sério para garantir que seus objetivos sejam alcançados de forma plena e com segurança.

Além disso, separamos algumas dicas finais para ajudar você a poupar dinheiro e investi-lo da maneira mais eficaz. Veja a seguir.

Invista em patrimônios para alcançar a independência financeira 

Organizar sua vida financeira e guardar parte da sua renda não será o suficiente para alcançar a tão sonhada independência financeira. Na verdade, caso você coloque tudo o que guarda na poupança, estará perdendo dinheiro, uma vez que os rendimentos dela são menores do que a inflação, o que faz o seu dinheiro valer menos com o tempo. 

Por isso, é imprescindível investir em patrimônios que possuam um rendimento maior do que o da poupança. A seguir confira duas alternativas para você investir seu dinheiro de maneira mais eficaz e consciente: 

Faça um empréstimo 

Precisar pegar dinheiro emprestado é bastante comum e muitas vezes necessário. Entretanto, pode se tornar um problema grave se não for feito da maneira correta e pelos motivos certos. 

Em casos em que é necessário cobrir uma despesa inesperada ou a compra de um patrimônio que está em um preço imperdível, o empréstimo pode ser a solução ideal. Afinal, as taxas cobradas pelos cartões de crédito e financiamentos no geral são muito maiores que as dos empréstimos. 

Vale ressaltar, porém, que essa prática só é vantajosa em situações emergenciais, em razão das taxas e facilidades quando comparadas ao cheque especial, por exemplo. 

Tenha um fundo de investimento

Os fundos de investimentos caracterizam-se por serem carteiras de ativos financeiros, geralmente oferecidos por instituições que possuem cotas para captação de dinheiro. Podemos comparar o funcionamento de um fundo de investimento com o de um condomínio, em que cada morador adquire uma cota (apartamento) e paga uma mensalidade para a administração do condomínio, seguindo algumas regras já estabelecidas. 

No fundo, as taxas cobradas são referentes à gestão dos ativos, permitindo decisões relacionadas aos ativos da carteira como vender ações ou fazer novas aquisições, por exemplo. Por isso, toda a regulamentação desse tipo de investimento é realizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA).

Em resumo: a disciplina é a chave do sucesso para o planejamento financeiro destinado a pessoas com mais de 40 anos. Lembre-se que os resultados positivos se tornarão realidade a partir da sua capacidade em se comprometer com todas as dicas que ensinamos neste guia. Por isso, faça do seu planejamento financeiro pessoal uma prioridade. Assim, você não só diminui os gastos e começa a poupar dinheiro, mas também aprende cada vez mais sobre finanças. 

Coloque em prática tudo o que você aprendeu neste guia e seus objetivos estarão cada vez mais próximos de serem alcançados. E para te ajudar nesta tarefa, nós disponibilizamos um e-book completamente exclusivo sobre tudo que você precisa saber sobre empréstimos consignados. Clique aqui para receber este conteúdo exclusivo!

Comente e Compartilhe